As sete Ferramentas da Qualidade

Você sabe qual Ferramenta da Qualidade usar pra cada situação?


Muitos conhecem as ferramentas da qualidade, mas algo que nem todos podem saber é: Será que estão usando corretamente estas ferramentas?

Kaoru Ishikawa (1915-1989) organizou as sete ferramentas da qualidadesabendo que 95% dos problemas poderiam ser resolvidos por estas ferramentas e qualquer pessoa poderia utilizá-la na empresa.

As sete ferramentas da qualidade são:

  • - Diagrama de pareto
  • - Diagrama de causa e efeito
  • - Histograma
  • - Folhas de verificação
  • - Gráfico de dispersão
  • - Fluxogramas
  • - Cartas de controle

 

Agora, vamos ver o que são estas ferramentas de uma forma prática.


Diagrama de pareto

Gráfico de Pareto

O principio de Pareto também é muito conhecido como a regra dos 80/20 (alguns também falam de 70/30). Em resumopodemos dizer que:

  • 20% do tempo despendido produz 80% dos resultados
  • 80% de suas ligações telefonicas são destinadas a 20% dos seus contatos
  • 20% das ruas são responsáveis por 80% do trafego (não em São Paulo)
  • 80% dos pedidos em um restaurante vem de 20% do menu
  • 20% de seus clientes são responsáveis por 80% do seu faturamento
  • 80% dos problemas é causado por 20% das pessoas
  • 20% do que deve ser feito ocupa 80% do tempo

 

Pareto é uma ferramenta fantástica para priorização e focar no que realmente importa. Se há um problema, pareto lhe ajudará a focar.


Diagrama de causa e efeito

Gráfico de Causa x Efeito

O diagrama de causa x efeito (também conhecido como diagrama de Ishikawa) é uma excelente ferramenta utilizada para estruturar hierarquicamente as causas potênciais de um determinado problema (ou oportunidade). Ele permite uma visualização gráfica de todo o “mapa”.

Os elementos são tipicamente organizados em seis categorias:

  • Métodos
  • Matéria prima
  • Mão de obra
  • Maquinas
  • Medições
  • Meio ambiente

 

Um diagrama bem detalhado se parecerá com uma espinha de peixe (como ele também é conhecido) e a partir de uma lista preliminar de causas, as mais prováveis são selecionadas para análise mais aprofundada.


Histograma

Histograma

O histograma é uma ferramenta muito utilizada na estatística e apresenta uma representação gráfica da distribuição e frequência dos dados de uma determinada amostra. Normalmente é representado através de barras verticais.

Seu funcionamento é mais ou menos assim: Imagine uma escala de zero a vinte, você divide em barras de 2 em 2, ou seja, se o dado for 1 ou 2 você coloca ma barra “1-2”, se o dado for 3 ou 4 você coloca um ponto na barra “3-4” e assim por diante. Você pega sua amostra e vai colocando nessas “caixinhas” e no final você terá a distribuição dos seus dados.

Com uma evolução do histograma é possível identificar a estabilidade e capacidade de um determinado processo.


Folhas de verificação

As folhas de verificação são tabelas, planilhas, checklists utilizadas para a coleta e análise de dados. Como elas tipicamente são padronizadas, aumenta-se a produtividade e confiabilidade dos dados.

Em um cenário onde você deve verificar itens como:

  • O pedido esta correto?
  • Foi embalado de forma apropriada?
  • O destinatário na embalagem é o correto?
  • Quem fez?
  • Quem conferiu?
  • Quem despachou?
  • Qual o tempo em cada passo deste processo?

 

Uma folha de verificação lhe ajudará a padronizar este processo de coleta e após um determinado tempo você terá dados suficientes para identificar Gaps e oportunidades de melhoria.


Gráfico de dispersão

O diagrama de dispersão (mais popularmente conhecido como gráfico de correlação) permite representar duas ou mais variáveis uma em função da outra.

Este tipo de Diagrama é muito utilizado para correlacionar dados, como a influência de um fator em uma propriedade, dados obtidos em diferentes laboratórios ou de diversas maneiras. Um exemplo de correlação seria, quanto maior o índice de desemprego, menor é a venda de televisores (óbvio não). Outro exemplo seria: Quanto melhor a estrada, menor é o custo de manutenção de veículos.

Evoluindo um pouco mais o gráfico, chegamos às equações de regressão, que são praticamente formulas que podemos utilizar para predizer o comportamento futuro de um determinado processo ou sub-processo. Você pode por exemplo criar uma equação que lhe mostre se você conseguirá ou não entregar o projeto no prazo, ou criar uma outra que lhe informe o nível de qualidade previsto para seu projeto e por ai vai.


Fluxogramas

O fluxograma é um tipo de diagrama que apresenta gráficamente um processo. Ele utiliza poucas figuras e é de fácil compreensão. Foi (e ainda é) muito utilizado em fábricas e hoje é utilizado praticamente em todas as áreas de negócio para apresentar todo o fluxo de trabalho de uma forma que qualquer pessoa entenda. A existência de fluxogramas para cada um dos processos é fundamental para a simplificação e racionalização do trabalho, permitindo a compreensão e posterior optimização dos processos desenvolvidos em cada departamento ou área da organização.

Uma boa prática para facilitar a compreensão e institucionalização de processos é elaborar fluxogramas dos mesmos.


Cartas de controle

As cartas de controle (também conhecido como gráfico de controle) é um gráfico muito utilizado para acompanhamento durante um processo. Definem-se limites (superior e inferior) e vai-se plotando os dados em sequência. Este gráfico é utilizado para se aferir a estabilidade (e capacidade quando necessário) de um determinado processo. Um processo não esta estável (fora de controle estatístico) quando se verifica uma das seguintes situações:

  1. Um ponto fora dos limites de controle
  2. Nove pontos consecutivos de um mesmo lado da linha central
  3. Seis pontos consecutivos em sentido ascendente ou descendente
  4. Catorze pontos crescendo ou decrescendo alternadamente
  5. Dois de três pontos consecutivos na zona A do mesmo lado da linha central
  6. Quatro de cinco pontos consecutivos na zona B ou A do mesmo lado da linha central
  7. Quinze pontos consecutivos na zona C
  8. Oito pontos de ambos os lados da linha central sem nenhum na zona C



Agora veremos uma idéia de qual momento utilizar cada uma delas: